Nissan Kicks renovado em solo brasileiro

Notícias - Nissan Kicks renovado em solo brasileiro
Nissan Kicks renovado em solo brasileiro

Nissan Kicks renovado em solo brasileiro

Crossover agora é fabricado no Brasil e ganhou gama completa, com mais versões, cores e acessórios

Desenvolvido por japoneses, fabricado por mexicanos e lançado nos jogos olímpicos brasileiros, o Nissan Kicks caiu no gosto nacional logo no primeiro ano de vendas – tanto que já é o modelo mais vendido da montadora no Brasil. Por isso, ganhou essência totalmente verde e amarela. O modelo agora também é produzido na fábrica da Nissan de Resende, no Rio de Janeiro. E, aqui, ganhou mais acessórios e cores, além das versões que faltavam para ter uma gama completa.

Antes importado em duas motorizações, o Kicks agora conta com cinco versões. E a principal novidade é a opção de entrada. O crossover só contava com as versões intermediária e completa, que começavam em R$ 84.900. Mas, agora, tem uma opção de câmbio manual, bem equipada e mais acessível. É o Kicks S, que custa R$ 70.500 e já vem com itens como sistema de partida a frio, direção com assistência elétrica, assistência de frenagem e bancos dianteiros Zero Gravity, desenvolvidos junto à Nasa para oferecer alívio em longas jornadas.

Apesar de ser a versão mais básica, o Kicks S não deixa a desejar em termos de potência. Toda a gama do crossover mantém o motor 1.6 de 16 válvulas apresentado no ano passado. É um propulsor que faz até 114 cavalos de potência e 15,5 kgfm de torque, força que casou bem com o câmbio manual e foi percebida pela Folha de Pernambuco no test drive. O trajeto ainda comprovou o conforto e a economia do modelo, que fez 14,9 km/l na estrada, mas revelou um isolamento acústico que deixa a desejar, pois evidencia o ronco do motor.

Já as outras versões do Kicks continuam com o câmbio CVT, que promete mais economia e suavidade na troca de marchas. São elas: a Kicks S CVT, que tem controle de tração e estabilidade, sistema inteligente de partida em rampa e faróis de neblina e custa R$ 79.200; a S Direct CVT, voltada a pessoas com deficiência e taxistas e por isso tem isenção fiscal; a intermediária Kicks SV, com câmera de ré, chave de presença, central multimídia touchscreen e rodas de liga leve aro 17, por R$ 85.600; e a topo de linha Kicks SL, que agora tem maçanetas cromadas, sistema multimídia, retrovisores com rebatimento elétrico automático e subiu para R$ 94.900.

O SL ainda tem controle em curvas, estabilizador de carroceria e controle de freio motor, conjunto que garante estabilidade e segurança até em pisos ondulados. O motorista ainda conta com alerta de colisão frontal e câmera que oferece uma visão 360º e do veículo. E ele também tem força de sobra. É que o Kicks SL apresenta respostas rápidas, trocas suaves e economia. Com a reportagem, por exemplo, fez 12km/l na estrada.

A versão top ainda ganhou a cor Vermelho Malbec, além de mais combinações para o teto ‘biton’, com tonalidade diferente da carroceria e caiu no gosto dos brasileiros. Agora, além de cinza com teto laranja, é possível comprar o Kicks em prata e preto, branco e preto, cinza “e preto e preto com grafiti. Para criar essa novidades e fabricar o modelo no Brasil, a Nissan investiu R$ 750 milhões e gerou 600 novos empregos na fábrica de Resende.

 

Fonte: folhape