Nissan Kicks melhora em custo/benefício

Notícias - Nissan Kicks melhora em custo/benefício
Nissan Kicks melhora em custo/benefício

Nissan Kicks melhora em custo/benefício

O Kicks é um sucesso de vendas e a Nissan está tão empolgada com ele que estuda o lançamento de uma versão e-Power, um novo sistema híbrido que faria o carro ter uma autonomia de 34 km/l de gasolina. Desde que passou a ser produzido no Brasil, a fábrica já teve de aumentar o ritmo de entrega do carro. Em relação ao ano passado, a novidade do Kicks é a chegada da versão de entrada S, com câmbio manual de cinco marchas ou automático CVT (continuamente variável). Para este guia, rodamos com o Kicks S CVT, equipado com rodas de liga leve.

Claro que ele perde em sofisticação e em relação aos Kicks mais caros, porém ainda assim é um carro vistoso – possui um dos designs mais felizes da atualidade. E a ausência de frisos e outros detalhes estéticos é plenamente compensada pela relação custo/benefício. Suas maiores qualidades surgem ao volante. O motor 1.6 e o câmbio manual de cinco marchas oferecem uma condução esperta, graças ao menor peso (1.109 kg) do que o dos rivais Jeep Renegade 1.8 (1.393 kg) e Hyundai Creta Attitude 1.6 (1.296 kg). Já com câmbio CVT, o peso sobe para 1.129 kg, mas ainda assim ele anda bem. Há boa força disponível desde os baixos giros, permitindo boas arrancadas e ultrapassagens seguras na estrada se você afundar o pé de uma vez no acelerador (manobra conhecida como kick down).

 O quadro de instrumentos é simples, mas bem resolvido. Os bancos são muito confortáveis, desenvolvidos pela Nasa – incrível como não cansam mesmo em viagens longas. Ainda em conforto, o rodar macio é resultado das rodas de 16” com pneus de perfil maior que os das versões SV e SL, que usam aro de 17”. É verdade que o conjunto macio faz a carroceria rolar um pouco nas curvas rápidas, mas a versão S CVT inclui os controles eletrônicos de tração e de estabilidade, além de assistente de partida em subidas. Não há central multimídia na versão de entrada, mas sim rádio MP3. Outros itens de série são: ar-condicionado, alarme, direção elétrica, isofix, volante multifuncional e vidros/retrovisores elétricos. Por pouco mais de R$ 80 mil, vale a pena!

FONTE: MOTOR SHOW